Clínica Médica

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 7
  • Item
    Análise do perfil epidemiológico das infecções de cateter e fistula arteriovenosa em pacientes no programa de hemodiálise ambulatorial em um hospital de referência em Belém-PA
    (2015) BATISTA, Artur dos Santos; MORAES, Carla Barros de; FERREIRA, Andrea Cristina Beltrão
    Introdução: A Doença Renal Crônica (DRC) é como anormalidade de estrutura ou função renal, presentes por mais de três meses. Recomenda-se iniciar a terapia renal substitutiva (TRS) quando a TFG é 15 mL/min/1,73m2 e/ou diante de algumas complicações decorrentes do comprometimento renal. Os acessos vasculares para hemodiálise são: FAV, FAV artificial, cateteres percutâneos tuneizáveis e não-tuneizaveis. Infecções são a maior causa de morbidade nos pacientes dialisando através de cateter. As infecções são tratadas de forma diferente conforme tipo de cateter, evolução clínica e agente etiológico. Pacientes em hemodiálise por FAV apresentam menor taxa de infecção quando comparados com os pacientes que realizam diálise por cateteres. Porém o agente etiológico mais prevalente permanece com boa sensibilidade antibiótica na maioria dos casos. Haja vista que os pacientes que passam grande parte do seu tempo em Instituições de tratamento, o perfil de infecção dos acessos para terapia tem padrão de resistência mista, podendo ser resistentes ou sensíveis aos antibióticos padrões. Objetivo: Determinar o perfil epidemiológico das infecções de Cateter e Fístula Arteriovenosa em pacientes no programa de Hemodiálise ambulatorial no hospital de Clínicas Gaspar Vianna em Belém-PA. Metodologia: foram analisados os prontuários dos pacientes para verificação dos dados como idade, sexo, sinais sistêmicos (febre, taquicardia, hipotensão) e as hemoculturas, culturas de ponta de cateter e cultura de swab. Resultados: foram coletados dados de 55 pacientes, sendo que 59% destes eram dos homens. A faixa etária mais prevalente foi de 60 a 80 anos. Estavam em uso de cateter tuneizável 49,2%. Os agentes isolados foram predominantemente gram-negativos, com sensibilidade mista.
  • Item
    Avaliação do conhecimento em cuidado paliativo da equipe multiprofissional de um hospital público de alta complexidade na região Amazônica, Belém-Pa
    (2017) PAES, Juliana Maria Martins Papaléo; ALVES, Renata Maria Coutinho
    Cuidados paliativos consistem na abordagem multiprofissional que visa melhorar a qualidade de vida dos pacientes e seus familiares perante uma doença incurável e com prognóstico limitado através de intervenções que visam prevenir, tratar ou minimizar sofrimento de origem física, psíquica, espiritual e social. Estes cuidados são baseados em nove princípios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e amplamente divulgados na comunidade científica. Este estudo tem como objetivo avaliar o conhecimento das equipes multiprofissionais de um hospital público de alta complexidade na região Amazônica, em Belém-PA, sobre os princípios dos cuidados paliativos. Participaram deste estudo 115 profissionais que atuavam em uma ou mais equipes de cinco setores do hospital (dois setores de enfermaria, dois setores de unidade de terapia intensiva e um setor de urgência e emergência). O s participantes responderam um questionário desenvolvido pelos pesquisadores abordando os princípios dos cuidados paliativos agrupados em cinco domínios: (1) conhecimento, (2) alívio dos sintomas e não apressar morte, (3) aspectos psicológicos, (4) qualidade de vida e (5) abordagem multiprofissional, precoce e familiar. Não houve correlação entre a pontuação obtida e o número de setores no qual o profissional atua. Não houve diferença estatística entre os resultados dos cinco setores em cada domínio estudado. A média de pontuação foi de 84%. Este estudo demonstrou que as equipes do hospital pesquisado detêm conhecimento satisfatório sobre os princípios em cuidados paliativos. Sugere-se novos estudos para investigar se esse conhecimento proporciona uma aplicação adequada dos cuidados, assim como fatores que poderiam inviabilizar a abordagem paliativa de cuidados paliativos.
  • Item
    Linfoma de Hodgkin pós-tratamento de Linfoma Linfoblástico de Células T: relato de caso
    (2015) RAMALHO, Livia Maria Brasil Ferreira; VAN DEN BERG, Ana Virgínia Soares
    Os linfomas são neoplasias malignas caracterizadas pela proliferação de células originárias dos tecidos linfóides. Atualmente, possuem prognósticos diferentes, dependendo de seu subtipo e estágio ao diagnóstico. Diversos estudos vêm notificando a ocorrência de numerosos efeitos tardios indesejados, dentre eles o aparecimento de segunda neoplasia. A incidência dessas malignidades vem aumentando, provavelmente devido ao acompanhamento mais atento por conta dos profissionais de saúde. Paciente S. M. G, 24 anos, sexo feminino, em 2010 com diagnóstico de Linfoma Não-Hodgkin-Linfoblástico T realizou tratamento de quimioterapia com Hiper CVAD, com remissão da doença após a terapia. Em 2013, houve aparecimento de linfonodo cervical, sendo indicada biópsia com patologia e imunohistoquímica conclusivo de Linfoma de Hodgkin subtipo Esclerose Nodular, indicado tratamento por radioterapia. Atualmente acompanhada em ambulatório, assintomática. Os linfomas podem possuir expressão imunofenotípica diferente, caracterizando doenças de origem T e ou B, com evolução e/ou transformação de um tipo para outro, causando maior impacto na sobrevida global do paciente. No caso desta paciente houve desfecho favorável, mas é importante fomentar pesquisas para conhecimento da evolução dos linfomas.
  • Item
    Hipertensão pulmonar como fator de mau prognóstico em pacientes com doença renal crônica terminal, no Pará
    (2016) SOUSA, Hivis da Costa; OLIVEIRA, Joelson Felipe da Silva; MONTEIRO, José Tadeu Colares
    Objetivo: Identificar entre os pacientes portadores de doença renal crônica (DRC) em hemodiálise, a existência de hipertensão arterial pulmonar (HAP) associada. Métodos: Estudo transversal, retrospectivo, no período de janeiro a dezembro de 2014, mediante a análise do prontuário do Serviço de Nefrologia dos pacientes internados. Foi utilizado um questionário com informações, como: idade, gênero, comorbidades, motivo da internação, tipo de acesso vascular e informações do Ecocardiograma Doppler Transtorácico, como a medida da Pressão Sistólica da Artéria Pulmonar (PSAP), sendo considerados valor ≥ 35 mmHg. Resultados: Dos 101 pacientes, 21,29% apresentam sinais sugestivos de HAP, através da medida indireta da PSAP. Em torno de 63,6% do gênero masculino, faixa etária 51-60 anos (31,8%), com média de PSAP de 51,1(±11.4) mmHg, maioria internados por transtornos cardiopulmonares (síndrome coronariana aguda e edema agudo pulmonar, ambas semelhantemente com 13,6%), com predomínio de acesso vascular de curta permanência (Shilley) (95,5%); hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus (95,5% e 50%, respectivamente) como principais comorbidades, e tomando como desfecho, em torno de 36,4% evoluíram a óbito. Conclusões: A presença de HAP em pacientes com DRC em hemodiálise é uma condição frequente, principalmente em pacientes idosos, bem como pode influenciar diretamente na morbimortalidade. O rastreamento de HAP por meio do ecocardiograma pode ser útil para a estratificação cardiopulmonar entre os pacientes urêmicos. Porém novos estudos prospectivos devem ser realizados para a melhor compreensão da fisiopatologia da HAP e os efeitos de terapia de hemodiálise no doente renal crônico.
  • Item
    Relação entre síndrome metabólica e severidade da doença aterosclerótica coronariana
    (2012) SOUSA, Denise Girard de Almeida; OLIVEIRA, Erika Abdon Fiquene; RIBEIRO FILHO, Fernando de Souza Flexa
    As doenças cardiovasculares, principalmente o IAM, representam a principal causa de mortalidade e incapacidade no Brasil e no mundo. Alguns estudos apontam a SM como fator de risco e de gravidade para DAC, porém é controverso se a mesma tem um impacto aditivo no desenvolvimento de DAC, além de seus componentes isoladamente. Devido a grande prevalência tanto da SM, como da SCA, o objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência da SM, bem como sua associação com a gravidade da DAC, em pacientes com SCA. Realizou-se um estudo prospectivo, observacional, transversal, com 82 pacientes admitidos no SAT do HCGV, com diagnóstico de SCA, em seu primeiro evento, no período de julho a setembro de 2011. Os resultados obtidos foram submetidos à análise estatística. Dos pacientes analisados, 68% eram do sexo masculino, sendo a média de idade de 58 + 8 e o índice de massa corporal de 27 + 5. HAS, DM, dislipidemia e tabagismo foi encontrado, respectivamente, em 49%, 29%, 29% e 28% dos pacientes. IAM com SST foi a apresentação clínica de 72% dos pacientes, sendo a descendente anterior a artéria mais acometida (62%). Em 16% dos casos, evidenciou-se lesões multiarteriais. Dentre os 58 pacientes que não referiam história prévia de DM, apenas 16 (29%) apresentavam glicemia de jejum normal; metade dos pacientes apresentavam diagnóstico de DM e outros 32% apresentavam glicemia de jejum alterada. Em relação ao diagnóstico de SM, 53% da amostra apresentava a síndrome. Níveis baixos de HDL-colesterol foram evidenciados em 77% dos pacientes, sendo a alteração metabólica mais frequente, seguida pelas alterações glicêmicas (61%). No grupo de SM observa-se maior prevalência do sexo feminino, maior circunferência abdominal, além de maiores níveis de glicemia e triglicerídeos. Em relação à extensão da DAC, apesar de não haver significância estatística, a prevalência de doença multiarterial foi 50% superior no grupo com SM. Ao se analisar os critérios da SM, isoladamente, evidenciou-se que a glicemia > 110mg/dL se comportou como fator de risco para DAC multiarterial, com significância estatística. Conclui-se que a SM, apesar de mais frequente no grupo multiarterial, não se correlacionou estatisticamente com maior gravidade da DAC.