Nutrição

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 5 de 8
  • Item
    Indicadores antropométricos de obesidade em pacientes com infarto agudo do miocárdio
    (2014) LOBATO, Talita Ariane Amaro; TORRES, Rosileide de Souza
    O Brasil tem passado por processos de transição demográfica, epidemiológica e nutricional, resultando no aumento da prevalência das doenças crônicas não transmissíveis, sendo as doenças cardiovasculares as maiores responsáveis pela morbidade e mortalidade. Outro grave problema de saúde pública é a obesidade, que apareceu como fator de risco independente para o infarto agudo do miocárdio no Brasil, e o acréscimo de risco não está relacionado apenas com o excesso de peso, mas principalmente com a distribuição da gordura. Assim, o objetivo desse estudo foi caracterizar a obesidade e sua distribuição da gordura, por meio de diferentes indicadores antropométricos, junto aos pacientes com infarto agudo do miocárdio, internados na Fundação Pública Estadual Hospital de Clínicas Gaspar Vianna em Belém-Pará. Para isso, foi realizado um estudo transversal, com 34 pacientes adultos e idosos, de ambos os sexos, com infarto agudo do miocárdio, no período de março a junho de 2013. Foram coletadas informações sociodemográficos, hábitos de vida, bem como presença de comorbidades, além dos indicadores antropométricos de obesidade. Verificou-se que a população estudada constitui-se em sua maioria de homens, com idade média de 60 anos, casados, com ensino fundamental incompleto, e renda mensal média de 1 a 2 salário mínimos. Apresentou em relação aos hábitos de vida baixa prevalência de etilismo, elevado número de fumantes, bem como de sedentários. A ocorrência de comorbidades revelou alta prevalência. Para os indicadores antropométricos de obesidade total observou-se obesidade em 90% dos homens segundo Índice de Massa Corporal, a circunferência do pescoço apresentou aumento em 95% o sexo masculino. Entre os indicadores antropométricos de obesidade central, o índice de conicidade mostrou 100% do sexo feminino com risco aumentado, a circunferência da cintura apresentou risco aumentado em 100% das mulheres (p-0,005), a razão cintura-estatura mostrou risco aumentado em 100% da população feminina, a razão cintura-quadril, apresentou risco aumentado em 92,9% das mulheres (p-0,003). Em observância as correlações entre os indicadores antropométricos de obesidade, a circunferência da cintura e a razão cintura-estatura foram as medidas que mais se correlacionaram com outras variáveis antropométricas. Os resultados obtidos sugerem que a maior parte da população estudada apresenta alto risco de novos eventos cardiovasculares, principalmente em decorrência dos indicadores antropométricos de obesidade elevados. Neste sentido, ressalta-se a importância da antropometria, possibilitando a detecção precoce da obesidade e sua distribuição, que serve de base para as ações de prevenção e intervenção nutricional, auxiliando na mudança de estilo de vida.
  • Item
    Tempo de jejum pré-operatório em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca em um hospital de referência em Belém-PA
    (2019) NOGUEIRA, Rodrigo Tavares; COSTA, Vanessa Vieira Lourenço
    Introdução: O jejum pré-operatório extenso é uma prática constante nos hospitais brasileiros, porém, hoje muitos estudos e diretrizes com diversos tipos de cirurgias, inclusive cardíacas, afirmam que essa prática se torna cada vez mais obsoleta, estando a abreviação de jejum a relacionada à diminuição de uma cascata de respostas metabólicas, hormonais e imunológicas, sendo assim associada à redução de morbimortalidade, internação e custos hospitalares. Objetivo: Avaliar o tempo de jejum pré-operatório em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Método: Foi realizada uma pesquisa transversal de caráter descritivo, com análise quantitativa dos dados. A amostra foi composta por 50 participantes submetidos à cirurgia cardíaca internados no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna de ambos os os sexos e maiores de 18 anos entre maio e agosto de 2018. A coleta de dados se deu através de uma ficha pré-estabelecida, contendo algumas variáveis do pré-operatório. A análise estatística descritiva dos dados coletados foi desenvolvida a partir dos softwares Microsoft Windows Excel e BioEstat 5.0, com resultados formatados em gráficos e tabelas e comparados com as diretrizes em vigor. Resultados: 74% dos participantes pertenciam ao sexo masculino com média de idade de 55,92 anos. A média de jejum pré-operatório foi de 13,56 horas, com todos os participantes ficando mais de 8 horas de jejum, 56% mais que 12 horas e 40% mais que 15 horas. A principal cirurgia realizada foi revascularização do miocárdio com 60% de ocorrência. 76% dos participantes não tiveram prescrição médica para o jejum pré-operatório e 56% não tiveram aferição de glicemia, A maioria (66%) dos participantes pertencia a clínica cirúrgica, 34% tiveram cirurgia cancelada, 78% tiveram cirurgias realizadas de forma programada e a maioria relatou fome (64%) e sede (66%) no pré-operatório. Conclusão: Assim como a maioria dos hospitais brasileiros, todos os participantes da pesquisa ficaram mais tempo de jejum do que o recomendado pelas principais organizações sobre o tema. Contudo, essa prática passou a ser defasada, estando associada a maiores chances de complicações no pós-operatório. Dessa forma, foi elaborado um protocolo para abreviação do jejum dos pacientes internados no hospital.
  • Item
    Aplicabilidade e comparação de métodos de triagem nutricional pediátrica em cardiopatas internados em um hospital escola referência em cardiologia - Belém/Pará
    (2018) TOSCANO JÚNIOR, Paulo de Tarso; PINHO, Priscila
    A triagem nutricional é uma ferramenta fundamental durante o atendimento nutricional hospitalar, pois tem o propósito de identificar e reconhecer os pacientes em risco, para que seja iniciada a terapia nutricional mais indicada de forma precoce e individualizada. O objetivo do presente trabalho foi comparar a aplicabilidade de métodos de triagem nutricional pediátrica para detectar o risco nutricional em crianças com cardiopatias congênitas internadas em hospital escola de referência em cardiologia. Trata-se de um estudo de caráter quantitativo, descritivo e transversal. A amostra estudada foi de 43 crianças portadoras de cardiopatia congênitas internadas na clínica pediátrica da Fundação Pública Estadual Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV), com idade de 2 a 12 anos, de ambos os sexos. Os dados foram coletados no período de maio a novembro de 2017 e concluídos em 2018. Na elaboração do estudo foi utilizada a triagem nutricional Strong Kids e Stamp para avaliar o risco nutricional nas crianças estudadas. Os resultados observados foram: de acordo com a Strong Kids e Stamp todos os pacientes estavam em risco nutricional; essas triagens quando utilizadas e comparadas apresentaram resultados similares, e que, essa população apresenta alto risco nutricional e tendência à desnutrição. Conclui-se que há necessidade de realizar triagem nutricional e avaliação mais individualizada e constante com o propósito de evitar desnutrição e melhorar o prognóstico dos pacientes.
  • Item
    Relação entre variáveis antropométricas, bioquímicas e hemodinâmicas de pacientes cardiopatas atendidos em um hospital de referência em cardiologia
    (2015) GOMES, Mayara Negrão; TORRES, Rosileide de Souza
    As Doenças Cardiovasculares (DCV) representam uma das principais causas de morbimortalidade no mundo, sendo que no Brasil correspondem à primeira causa de morte há pelo menos quatro décadas. Está suficientemente demonstrada na literatura que as condições e a exposição aos fatores de risco têm um efeito não apenas aditivo, mas potencializador entre si. Modificações do estilo de vida podem melhorar de forma significativa os fatores das DCV, principalmente nos pacientes que já apresentaram ou apresentam alguma doença cardiovascular. Com isso, o objetivo do trabalho foi verificar a relação entre as variáveis antropométricas, bioquímicas e hemodinâmicas de pacientes cardiopatas atendidos em um hospital de referência em cardiologia. Foi realizado um estudo prospectivo, transversal, que envolveu 50 pacientes adultos e idosos, com idade > 45 anos, de ambos os sexos, no período de abril a julho de 2014. Foram coletados dados de sexo e e fases de vida, antropométricos (peso, estatura e circunferência da cintura), exames laboratoriais (glicemia e lipídios séricos: Colesterol total (CT), LDL, HDL, triglicerídeos (TG)) e dados hemodinâmicos (verificação de pressão arterial sistêmica). Foi observado que a maioria dos pacientes eram do sexo masculino com média de idade de 62 anos. Apresentou estilo de vida alta prevalência de tabagismo e sedentarismo. Comorbidades como Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) (96%) e dislipidemia (DLP) (94%) foram altamente prevalentes. A maioria da população apresentou histórico de doença arterial coronariana (DAC) familiar (68%). Os valores encontrados para as variáveis antropométricas, bioquímicas e hemodinâmicas foram significativamente elevados para: Índice de Massa Corporal (IMC) (p< 0.0001), circunferência da cintura (CC) (p=0.0020), Glicemia (0.0012) e TG (0.0369). Observou-se ainda que houve correlação positiva e significativa entre as seguintes variáveis IMC com CC (p <0.0001), pressão arterial sistólica (PAS) (P=0.0308) pressão arterial diastólica (PAD) (p=0.0205), CT (p=0.045), LDL (p=0.0389) e Glicemia (p=0.0127), sendo o IMC a variável que mais se correlacionou no estudo: CC com Glicemia (p=0.0281); PAS com PAD (p<0.0001)e LDL (p=0.0032); CT com TG (p=0.0007) e LDL (p=0.0032). Sendo assim, as inadequações dos indicadores analisados e a concomitante correlação positiva entres as variáveis estudadas reforçam a necessidade de intervenção nesta população, uma vez que aumentam- se as chances de reincidência de um novo evento cardíaco nesses pacientes.
  • Item
    Correlação entre dislipidemias e frequência alimentar de pacientes cardíacos atendidos em um hospital de referência em Belém-PA
    (2016) PITHAN, Maysa Rodrigues; GUTERRES, Aldair da Silva
    A dislipidemia é definida como uma alteração dos níveis de lipídeos, considerada como um dos principais determinantes da ocorrência de doenças cardiovasculares, dentre elas a aterosclerose, resultando de alterações no estilo de vida com diminuição de atividades físicas e alterações nos hábitos alimentares. Considerando a grandeza da incidência de eventos cardíacos, buscou-se identificar o perfil lipídico e o consumo alimentar de pacientes cardiopatas. Realizou-se um estudo transversal prospectivo descritivo, com portadores de doença arterial crônica em acompanhamento ambulatorial, com exames de lipídeos sanguíneos atuais, através de amostragem por conveniência. Para o levantamento de dados, aplicou-se o Questionário de Frequência Alimentar e o formulário sociodemográfico. Os dados foram avaliados a partir de análise exploratória, médias, desvio padrão e percentuais. Utilizou-se o teste t Student, qui-quadrado de Person e Exato de Fisher através do software Bioestatic® 5.0. O estudo foi realizado após aprovação pelo parecer nº1232942/2015. A amostra foi predominantemente do sexo masculino (70%), pardos (76,67%), sem acompanhamento nutricional (93,33%), não etilistas (83,33%), praticantes de atividade física (53,33%), ex-tabagistas (70%), valores de colesterol total (83,33%), LDL (100%) e HDL (53,33%) normais e valores elevados de triglicerídeos (53,33%) elevados. Quanto ao padrão alimentar, observou-se o alto consumo de carboidratos e proteínas e baixo consumo de frutas, hortaliças, leguminosas, açúcares e alimentos da Região Norte, com exceção ao açaí, farinha de mandioca e cupuaçu. Concluiu-se a necessidade de reforço na implementação de estratégias voltadas a orientação nutricional e ressalta-se a importância da atuação conjunta da equipe multiprofissional na prevenção e tratamento dos pacientes cardiopatas.